Blog

< Voltar

Três Principais Doenças da Tilápia de Criação

Conheça três das principais doenças da criação de tilápias, características, tratamento e prevenção.


Em 2020 a tilápia permaneceu como a principal espécie de peixe produzida no Brasil. Segundo a Associação Brasileira de Piscicultura, no anuário Peixe BR 2021 publicado em fevereiro, seis em cada dez peixes cultivados no Brasil são tilápias.

 

Mas, assim como nós, humanos, os peixes também podem sofrer de diversas enfermidades. E para ajudar você, produtor, no reconhecimento e cuidado na piscicultura, hoje falamos de três das principais enfermidades da piscicultura, como tratá-las e preveni-las.

 

Doença dos Pontos Brancos

A doença causada pelo protozoário Ichthyophthirius mutifilis caracteriza-se pelo surgimento de pontos brancos espalhados por todo o corpo do peixe, principalmente sobre as nadadeiras. É acompanhada por perda de apetite, respiração ofegante e dificuldade de nado. Pode ocorrer também do peixe ficar se raspando em alguns objetos.  

 

Doença do Veludo

Causada pelo protozoário Oodinium pilullaris, é uma doença altamente contagiosa e que se espalha rapidamente para os demais animais. Por isso é importante agir rápido. Caracteriza-se também pela aparição de pontos no corpo do peixe, mas estes são dourados. Os principais sintomas são dificuldade na engorda e asfixia.

Doença dos Olhos Esbugalhados ou Estreptococose

Esta doença, causada pela bactéria Streptococcus, representa atualmente um dos maiores desafios para a sanidade das tilápias de criação, causando alta taxa de mortalidade entre os animais.

 

Inclusive, os peixes que resistem a esta doença, ainda, continuam como um foco permanente. Dessa maneira, uma vez que a doença entra numa fazenda ou em uma produção de tilápias, é extremamente difícil ou impossível erradicá-la completamente.

 

Ocorre principalmente em decorrência do estresse que os animais podem sofrer em virtude da queda de oxigênio ou aumento repentino da temperatura da água, por exemplo.

 

Entre os principais sintomas estão lesões na pele que inviabilizam sua comercialização, causando grandes prejuízos econômicos. Outros sinais são: olhos esbugalhados, olhos opacos, dificuldade na engorda, nado lento e até sangramento.

 

Como tratar as doenças e a água de tanques em tilápia de criação

O tratamento ocorre preventivamente com uso de vacinas e o tratamento com a aplicação de antibióticos, lembrando que o melhor método é a prevenção.

 

A qualidade da água é de fundamental importância para o sucesso da criação. Tanques com água de má qualidade, com alta carga de material orgânico ou com animais subnutridos favorecem a ocorrência e surgimento de bactérias indesejadas, provocando o desequilíbrio e o surgimento de substâncias tóxicas na água, prejudicando o animal.

 

Tudo está integrado e tudo tem que estar em perfeita harmonia para funcionar bem e prevenir prejuízos financeiros. Por isso, é de vital importância a utilização de produtos biorremediadores para o tratamento e manutenção da qualidade da água para produção de tilápias de criação. 

 

O que são Biorremediadores?

Biorremediadores são produtos que contém enzimas naturais produzidas em laboratórios que digerem a matéria orgânica e ajudam a manter o ambiente aquático mais limpo, promovendo a formação de bioflocos que melhoram a sanidade da água. Assim, o tanque deixa de ser um ambiente hostil e passa a ser um ambiente preparado e saudável para o cultivo de tilápias e outras espécies. E a Kayros pode te ajudar nisso.

 

Fabricação de biorremediadores para piscicultura

Sediada na cidade de Paulínia, em São Paulo, a Kayros é um laboratório de biotecnologia referência no mercado de fabricação de produtos biorremediadores para uso na piscicultura e também na carcinicultura.

 

Com mais de 18 anos de experiência a Kayros e possui reconhecimento por oferecer produtos desenvolvidos com qualidade, a partir de estudos comprovados e técnicas específicas que produzem resultados eficientes.

Pensou em biorremediadores, pensou em Kayros.

Kayros: Biotecnologia à serviço do produtor.

 

Referências:

ENGEPESCA. Principais Doenças na Piscicultura, 2020. Disponível em <https://www.engepesca.com.br/post/principais-doencas-na-piscicultura>. Acessado em 17 jun 2021.

LEIRA, Matehsue Hernandes et. al. As principais doenças na criação de tilápias no Brasil: revisão de literatura. Nutritime Revista Eletrônica, 2017. Disponível em <https://www.nutritime.com.br/arquivos_internos/artigos/Artigo_414.pdf>. Acessado em 17 jun 2021.

REVISTA GLOBO RURAL. Tilápias com olhos esbugalhados. O que fazer?, 2018. Disponível em <https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Videos/noticia/2018/08/tilapias-com-olhos-esbugalhados-o-que-fazer.html>. Acessado em 17 jun 2021.

SNATURAL AMBIENTE. Doenças, Parsitoses e Tratamento em Peixes, 2021. Disponível em <https://www.snatural.com.br/doencas-peixes-tratamentos/>. Acessado em 17 jun 2021.

 

< Voltar